A influência nordestina na música do Djavan


 

Uma das características da obra do Djavan é a mistura de ritmos e a musicalidade de seus versos. Nessa costura de inspirações, o artista alagoano foi influenciado também por suas raízes!

“A influência do Luiz Gonzaga é muito marcante para mim. Ele sempre foi muito presente na minha vida. Minha mãe me levava nas feiras, para vê-lo (...) e ele é uma das minhas maiores influências porque o nordestino nasce e se cria ouvindo Luiz Gonzaga”, destacou Djavan, em participação no Programa “Encontro com Fátima Bernardes”. Clique aqui e relembre esta entrevista! 

“Farinha”, por exemplo, é um xote que abre o álbum “Milagreiro”, remete à infância no Nordeste. O próprio nome deste projeto, aliás, que também é homônimo à canção gravada em dueto com Cássia Eller, tem músicas definidas pelo artista como “épico mouro-nordestino”. 


Na canção “Alagoas”, do disco Djavan, de 1978, o cantor e compositor conta a sua saga rumo ao Rio de Janeiro, como tantos nordestinos que buscam melhores oportunidades nos grandes centros urbanos. 

Em “Estória de Cantador”, a voz suave e marcante do Djavan fica ainda mais impactante com a atmosfera nordestina criada com o som do acordeon, que na versão original é tocado por Dominguinhos!

Djavan e o saudoso Dominguinhos compuseram juntos a canção “Retrato da Vida”. A canção “Lamento Sertanejo”, de Dominguinhos e Gilberto Gil, também já foi gravada por Djavan. São inúmeras as canções nas quais esta influência fica evidente, mas, ao destacar frequentemente algumas características da obra do artista, o Arquivo Djavan, estimula que obra dele se torne ainda mais conhecida e mais do que compreendida, sentida!


No vídeo relembre “Retratos da Vida”, que faz parte do setlist da turnê Rua dos Amores!

 

 

Comentar

ÚLTIMAS NOTÍCIAS