Viva Dominguinhos!

Na semana passada, Djavan foi a São Paulo para um encontro muito especial. Participar da gravação do DVD “Dominguinhos Volta e Meia”.

Junto com Dominguinhos e os músicos Yamandu Costa, Hamilton de Holanda e a cantora caboverdiana Mayra Andrade, eles tocaram e cantaram as músicas Retrato da Vida, Lamento Sertanejo e A Rota do Indivíduo.

VEJA AQUI ALGUMAS FOTOS DO ENCONTRO

Saiba mais no release do projeto:

“Dominguinhos é universal. E, para celebrar isso, nada melhor do que juntar o bandolinista de Brasília Hamilton de Holanda, o violonista gaúcho Yamandu Costa, o cantor alagoano Djavan, a caboverdiana Mayra Andrade em torno da música do grande instrumentista, cantor e compositor pernambucano Dominguinhos, que completa em 2011 70 anos de uma vida dedicada à música. Ele é o protagonista do documentário-musical Dominguinhos Volta e Meia, dirigido por Felipe Briso e produzido pela bigBonsai.

A filmagem
Foi um encontro de protagonistas. No estúdio NaCena, em São Paulo, a cantora caboverdiana Mayra Andrade, uma das representantes mais jovens e talentosas da  música de um país que tem em suas raízes ibéricas um ponto em comum com a música brasileira, juntou-se aos vocais de Djavan para interpretar a música Retrato da Vida. 

Dominguinhos na sanfona, Yamandu Costa no violão de sete cordas e Hamilton de Holanda no bandolim completavam o rol de grandes músicos que tornaram esse encontro um momento histórico para a música brasileira. 

A composição Retrato da Vida unia a todos ali. Hamilton de Holanda, com quem Djavan havia tocado em shows no Circo Voador, no Rio de Janeiro, gravou a composição no CD “Música das Nuvens e do Chão”, de 2004. 

Djavan, que gravou a música no disco Bicho Solto, em 1998, lembrou a história do nascimento da canção. “Dominguinhos me disse: ‘Posso mandar uma musiquinha para você?’ e me mandou oito! Botar uma letra numa melodia tão inspiradora é um presente. Você é um melodista fabuloso”, dizia o cantor. “Você já ficou numa roda de amigos com Dominguinhos tocando a esmo? É sensacional o que ele faz. Ele é uma enciclopédia musical maravilhosa”, contou o músico, entre outros momentos, como aquele em que o conheceu. “Fiquei abismado vendo você cantar. Você já estava no meu coração desde criança”, recordou sobre o encontro no Rio de Janeiro . 

Djavan gravou ainda, no encontro, Lamento Sertanejo, acompanhado de Dominguinhos, composição antológica do mestre sanfoneiro com Gilberto Gil, e A Rota do Indivíduo, composição de Djavan e Orlando Morais do disco Coisa de Acender, que Djavan gravou em 1992 e tocou no encontro, ao lado da sanfona de Dominguinhos, no violão" (Assessoria de Imprensa).


 
 

Comentar

ÚLTIMAS NOTÍCIAS